Notícias/  Tangará da Serra e região

Câmara reprova projeto sobre RGA e negociações seguem; greve deve continuar

Da Redação - Anderson Hentges e Gabriela Gonçalves

13/11/17 às 19:36 / Atualizada: 13/11/17 às 20:11

Imprimir Enviar para um amigo
Câmara reprova projeto sobre RGA e negociações seguem; greve deve continuar

Servidores participam de votação na Câmara de Tangará

Foto: Assessoria

Com sete votos contrários, o Projeto de Lei Complementar 20/2017, que trata do pagamento da Revisão Geral Anual (RGA) dos servidores públicos municipais, foi reprovado durante a sessão extraordinária desta segunda-feira (13). 

Conforme o presidente do Sindicato dos Servidores Públicos de Tangará da Serra (SSerp), Eduardo Pereira, as negociações voltarão a acontecer já que o projeto, de autoria do Executivo Municipal, tirava alguns direitos dos servidores, no entanto ganhariam pois o pagamento do RGA seria efetuado. “Foi satisfatório em partes, o diálogo vai continuar e vamos tentar reverter na conversa”, apontou.

No dia 30 de outubro os servidores da rede municipal entraram em greve alegando que há quatro meses vinham tentando convencer o prefeito a conceder reposição salarial das perdas inflacionárias do ano passado. A classe reivindica um reajuste de 6,28% referente à inflação medida em 2016.

A Justiça alega que a greve é ilegal. Nesta linha, Eduardo ressalta que a instituição não foi notificada sobre essa decisão. Ele afirma ainda que soube por meio das redes sociais, que a decisão não é oficial e que deve recorrer. “O sindicato vai procurar a defesa. O juiz vai ouvir as partes ainda, nós vamos cumprir o que manda a lei”, completa.

Foram a favor da aprovação do projeto os vereadores Claudinho Frare e Maurizan Godoi (PSD), os tucanos professor Vagner e Fabio Brito, além do parlamentar professor Sebastian do PSB.

Sobre a suspensão da greve, o presidente comenta que irá documentar todas as conversas e, caso não tenha uma solução, os servidores voltarão em estado de greve. “Cedemos vários pontos que o prefeito queria. Infelizmente nem assim ele quis ouvir as propostas que levamos”, conclui.

Propostas
O prefeito Fábio Martins Junqueira, (PMDB), anunciou duas novas propostas na última terça-feira (7). A primeira proposta apresentada pelo prefeito é o aumento no valor da insalubridade e pagar de acordo com a categoria base de cada grupo, grupo 1, 2, 3 e 4. Essa proposta já havia sido feita, mas o valor era menor. E a segunda proposta é um abono para suprir o retroativo.
Imprimir Enviar para um amigo

0  comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Nova Edição. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Nova Edição poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
 
 
 
Sitevip Internet