Entrevistas

Douglas tonholo, o goleiro pegador de pênaltis

09/05/17 às 10:03 / Atualizada: 09/05/17 às 10:10

Enviar para um amigo
Douglas tonholo, o goleiro pegador de pênaltis
Dodo, um goleiro que chegou de longe, sem conhecer ninguém. Veio por incentivo de seu pai e chegou ganhando títulos importantes. 

Nome:  Douglas Tonholo
Apelido: ”Dodo”, ”Pitbull das traves”.
Idade: 17 anos
Posição : Goleiro
Natural de: Sinop, Mato Grosso.
 
Como você chegou no Grêmio? 
Douglas: Eu era do Mato Grosso, o Sérgio me viu jogando e me trouxe para fazer o teste. Era pra eu ficar uma semana, mas passei em dois dias.

Quem mais incentivou você?
Douglas:  Meu pai e, logo após o acidente dele, comecei a trabalhar ainda mais esse sonho dele.

Como foi a adaptação? 
No início foi bem difícil. Os meus pais largaram tudo do interior do Mato Grosso para vim para a capital do Rio Grande do Sul.  Aqui é muito diferente, pois é cidade grande e é muito frio.

Em quem você se inspira?
Douglas: Quando eu era pequeno eu me espelhava no Marcos, ex goleiro do Palmeiras. Logo quando cheguei, conheci a história do Mazaroppi, Danrlei e Grohe. Meu espelho é cada vez mais neles. Grêmio tem histórico de bons goleiros que fazem história no clube.

Qual foi o seu primeiro jogo?
Douglas: Foi um Gre-nal, o primeiro da 2000, em 2010. Foi de titular. Então, acho que posso dizer que fui forjado na trincheira.

Como foi a recepção da torcida?
Douglas: Indescritível. Eu não vinha de longe, não conhecia ninguém e era minha estréia como titular.  Recebi apoio dos pais dos meninos, a torcida que sempre lota o estádio me receberam muito bem, me elogiaram muito.

Como é a torcida do Grêmio?
Douglas:  Empurra até o fim, fico sem palavras. É a maior do Brasil. É a unica que desce a peso na hora do gol. O que mais me marcou foi o apoio quando ganhamos o Efipan, até apelido me deram. Sem palavras mesmo.
 
Como é a comissão técnica?
Douglas:  É a melhor. Nosso treinador é um cara experiente e de muito culhão. E a comissão técnica é a melhor que já vi, sempre nos ajudando. Eles trabalharam muito bem na minha chegada.

Qual foi o seu título mais marcante?
Douglas: O meu título mais marcante foi o Efipan em 2014. Esse título foi onde peguei dois pênaltis e dei o título para a equipe.

Como foi receber o apelido de ”pitbull em baixo das traves”?
Douglas: Logo quando cheguei eu já tinha a marca de estudar o adversário. Sempre estudei os lances de bola parada. O apelido veio quando eu me destaquei no Efipan.

Qual a sensação de ganhar um GRE-nal? 
Douglas:  Quando cheguei as conversas eram: título, bater marcas e Gre-nal. Vencer um GRE-nal é inexplicável, até porque somos os maiores do Sul.

Já teve contato com os goleiros?
Douglas:  Sim, já tive contato com todos da equipe profissional. Os goleiros já conversaram com a gente e nos deram forças.

Qual seu objetivo profissional?
Douglas:  Ser um goleiro respeitado, fazer história no Grêmio e continuar com essa humildade.

O que você falaria para o Douglas hoje em dia?
Douglas:  Continua com essa humildade. Eu tive uma infância difícil e poder estar trabalhando, estudando e ajudando minha família é muito gratificante.

O que você tem a dizer para os adversários? 
Douglas:  Fácil de fazer não vai ser. Sou o ”pitbull em baixo das traves”.

Uma frase em que te inspira?
Douglas:  Impossível não existe. Eu tenho fé, eu acredito, eu posso, eu quero, eu consigo.

O que você tem a dizer para a torcida?
Douglas:  Eles me cativaram de uma maneira que, hoje em dia, não consigo ficar sem ir no jogo. Sou o ”pitbull” e quero ganhar faixas e fazer história neste clube. Posso ficar vários anos aqui que serei feliz. Disseram para mim que, o Danrlei, tem o apelido de múmia. Então, eu quero ser o ”pitbull de faixas”.

Fonte: Grêmio News
 
 
Sitevip Internet